7 de outubro de 2011

Por que Amo Maria - Reformatado

Padre Júlio Maria de Lombaerde
Livro de 1945 - 520 págs

Tratado Substancial e Completo dos Principais Motivos de Devoção para com a Virgem Maria
Segundo os Santos Padres, os Doutores e os Santos


INTRODUÇÃO

Ó Maria, com que coroa cingirei a Vossa nobre fronte!

(S. João Damasceno)

A melhor introdução de um livro piedoso é uma prece ao Deus todo-poderoso, para que Ele se digne abençoar as suas páginas. 
"Ó meu Deus, direi eu, portanto, com Sto. Agostinho, sinto o meu coração comover-se profundamente ao pensar que vou empreender o elogio de Vossa Mãe, desta Mãe augusta, elevada a um grau tão elevado em graça e dignidade, que homem algum jamais, nem algum anjo pode sequer conceber a Sua sublimidade.1
E com S. João Damasceno: "Abri, Verbo divino, abri-vos mesmo os meus lábios, incapazes como são de dizer algo de conveniente a Vosso respeito. Depositai sobre os meus lábios palavras que tenham a doçura do mel e a suavidade dos céus. Concedei-me uma graça semelhante àquela que o Espírito Santo Se dignou conceder outrora a simples pescadores da Galiléia, aos quais inspirou uma eloqüência sobre-humana, para que eu proclame os insignes privilégios de Vossa Mãe querida, menos indignamente do que o faria, entregue às minhas débeis forças.2"
E que vos direi eu, ó doce e arrebatadora Mãe de amor? 
É de joelhos, ao pé da Vossa imagem; que começo este livro. 
Desde há muito tempo o seu plano estava traçado em meu espírito, meu coração fecundava-o sem cessar e minha alma aí depunha a Sua vida e os Seus afetos, mas é somente hoje que me é dado fixá-lo sobre o papel, dizendo: algo do que entrevi; algo do que saboreei; algo do que desejava fazer entrever e saborear aos outros. 
Antes de começá-lo, tudo se desenhava claro e preciso ante os olhos de minha alma, mas, no momento de executar o quadro já esboçado, sinto quanto é difícil falar bem de Vós... e minha mão vacila e meu espírito se aterroriza diante da tarefa já começada. Tem-se falado tanto de Vós... e, entretanto nada se disse ainda... nada!... em comparação do que se poderia dizer! ... 
'I'êm-se haurido algumas gotas somente no oceano de Vossas grandezas e perfeições... apenas algumas gotas tão saborosas, mas em tão pouca quantidade! Oh! feliz daquele que pode entrever um pouco este oceano. 
Que me seja permitido haurir ali mais uma gota ainda e expandi-la sobre as almas desejosas de amor e generosidade. 
Como vos explicarei o fim destas páginas, caro leitor, e filho muito amado de nossa Mãe? ... 
Como o filho que nunca viu sua mãe, mas que sente, entretanto, seu coração e sua alma cheios de emoção e de amor ao pensar nela, para iludir a impaciência que tem de conhecê-la, importuna com infatigáveis perguntas àqueles que a viram, que a conheceram, ou que dela ouviram falar, assim também eu quis interrogar: 
ao céu, que vê Maria,
à Igreja, que A conhece,
aos santos, que ouviram falar dEla;
e, apoiado sobre eles e seus testemunhos, tentei reconstituir algo da radiosa e inefável fisionomia da Mãe de Deus. E eis por que recolhi os diversos motivos que nos induzem a honrar e amar esta incomparável rainha e soberana dos corações. 
Pareceu-me que era mais uma obra a fazer. 
Existem muitos livros que tratam da Santíssima Virgem, mas não conheço um sequer que tenha por fim nos dar uma percepção clara, raciocinada e sólida dos diversos motivos por que devemos amar Maria Santíssima. 
Era uma lacuna lamentável, pois o "porquê" desempenha sempre um papel importante em nosso amor como em todas as nossas empresas. Experimentei, em parte, preencher esta falta no presente trabalho, ao qual seguirá, como espero, um segundo, intitulado: "Como amo Maria", e que será a prática da doutrina exposta neste volume. 
Eis a ordem seguida no presente volume, onde todos os motivos estão enfeixados sob cinco títulos principais: 

1. a vontade de Deus, que me fez conhecer a Maria e a necessidade de amá-lA; 
2. a grandeza de Maria, que excita a minha admiração; 
3. Seu poder, que me move a confiar nEla; 
4. Sua beleza, que me atrai e me incita a desprezar toda a beleza terrestre, indigna de merecer o meu amor; 
5. Seus benefícios, que me obrigam a amá-lA, por reconhecimento e reciprocidade de amor. 

Neste plano pareceu-me completo, lógico e fecundo, pois toma a alma tal qual é e a conduz sucessivamente ao conhecimento, à admiração, à confiança, à preferência e ao amor. 
Não é este o caminho que segue o nosso coração na escolha do objeto de seu amor? 
A que categoria de leitores se dirige este livro? 
A presente obra se dirige a todos aqueles que desejam conhecer e amar Nossa Senhora. Dirige-se aos padres, que têm em vista propagar o culto e estender o amor de sua divina Mãe, os quais nele acharão matéria abundante e sólida para pregar sua sublime devoção; aos religiosos, que encontrarão assuntos de meditação fecunda; e, finalmente, a todos os filhos de Maria, que ai virão colher e auferir luzes e exposições sumárias que lhes eram talvez até agora desconhecidas. A todos eles ensinará a amá-lA mais generosamente, apresentando e descobrindo-lhes o mais claramente possível a sua divina Mãe, ensinando a amá-lA com mais generosidade e a conhecê-lA com mais zelo.
Este trabalho, em que pus todos os meus esforços, para fazê-lo tão completo e substancial quanto possível, ainda está muito imperfeito. Ele não é mais que o resultado diminuto do esforço de uma alma incapaz de realizar completamente o que antes concebera. 
Quando se trata de Maria, a alma anseia por uma exclamação mais divina, o coração requer uma linguagem mais suave, e o amor, um acento mais vivo e mais afetuoso. 
Eu o sei. ... bem o sinto. Mas, se não me é dado realizar o quadro que meu coração tinha esboçado, espero que entre os leitores destas páginas haja alguma alma que dará este grito divino, algum coração que falará esta linguagem tão sublime, algum filho de Maria, ao qual o amor à sua Mãe do céu arrancará do seu peito este acento apaixonado que eu mesmo não pude achar. E se algum dia me for dado sabê-lo, seja aqui na terra ou lá no céu, de antemão terei gozado a minha recompensa.
P. Júlio Maria

1.- S. Aug. Homil. 4 de Assumpt. 
2.- S. J. Damasc. serm 1 de Dormit. B. V. M. n. 3. 


OBS.: Aqui no blog há para download alguns excertos deste excelente livro. Clique aqui

Qualquer quantia tem grande valor

http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/2015/12/qualquer-quantia-tem-grande-valor.html

O SANTO DE AUSCHWITZ

Assim dizia São Maximiliano Kolbe:

"De muito boa vontade oferecemos leituras gratuitas a todos aqueles que não possam oferecer nada para esta obra, mesmo privando-se um pouco."

O que é ser um Benfeitor do Blog?

O que é ser um Benfeitor do Blog?
Clique na Imagem

Agradeço aos amigos virtuais pelo selo

Agradeço aos amigos virtuais pelo selo